🔥 | Latest

Neuralize: DID YOU KNOW? IG:@CONSCIOUSVIBRANCY Your brain can literally be on the same wavelength as someone else's. Brain coupling: scientific recordings of one person's brain waves synchronized with another person they are in an intimate relationship with. Generally, this happens between best friends or romantic couples. FMRI scans on couples show scientific evidence that emotions such as joy, serenity and enthusiasm are picked up and enhanced in the presence of someone you feel close to. In other words, the electromagnetic signal produced by your heart is registered in the brain waves of people who are around you. When two people are having a conversation or listening to the same story, it makes sense that they’d be using similar parts of their brain, but the question is just how similar this activation is. Drexel and Princeton Universities teamed up recently to further explore this issue using a newer technology, hoping to prove its efficacy. Using functional near-infrared spectroscopy (fNIRS), a functional brain imaging technique, researchers sought to find out what happens when two people communicate and how to possibly improve face to face communication. In this study, experimental subjects wore an fNIRS headband which measured their neural activity while they engaged in conversation with one another. This in itself is pretty great as other imaging techniques like fMRI that measure blood flow to brain regions require people to lie down in a noisy machine, which is not at all conducive to personal conversation. During the experiment, subjects listened to a story in their native language while their futuristic headbands measured activity in prefrontal and parietal areas. These regions were targeted because they’re largely responsible for higher order processing involved with relating to others, an important piece of any communicative effort. When they examined the recordings, the researchers saw that brain activity of the listener heavily resembled that of the speaker after a delay. This copy-cat effect, however, was not observed when subjects didn’t understand the communicator, for example when the speaker only communicated in Turkish but the listener was only fluent in English. With the results from fNIRS, the experimenters found that the fNIRS recordings correlated quite closely with fMRI results of a similar experiment. Consciousvibrancy Source: http:-sites.bu.edu-ombs-2017-03-01-brain-synching-what-happens-when-you-converse-with-other-people-
Neuralize: DID YOU KNOW?
 IG:@CONSCIOUSVIBRANCY
 Your brain can literally be on the same wavelength as someone
 else's. Brain coupling: scientific recordings of one person's brain
 waves synchronized with another person they are in an intimate
 relationship with. Generally, this happens between best friends or
 romantic couples.
FMRI scans on couples show scientific evidence that emotions such as joy, serenity and enthusiasm are picked up and enhanced in the presence of someone you feel close to. In other words, the electromagnetic signal produced by your heart is registered in the brain waves of people who are around you. When two people are having a conversation or listening to the same story, it makes sense that they’d be using similar parts of their brain, but the question is just how similar this activation is. Drexel and Princeton Universities teamed up recently to further explore this issue using a newer technology, hoping to prove its efficacy. Using functional near-infrared spectroscopy (fNIRS), a functional brain imaging technique, researchers sought to find out what happens when two people communicate and how to possibly improve face to face communication. In this study, experimental subjects wore an fNIRS headband which measured their neural activity while they engaged in conversation with one another. This in itself is pretty great as other imaging techniques like fMRI that measure blood flow to brain regions require people to lie down in a noisy machine, which is not at all conducive to personal conversation. During the experiment, subjects listened to a story in their native language while their futuristic headbands measured activity in prefrontal and parietal areas. These regions were targeted because they’re largely responsible for higher order processing involved with relating to others, an important piece of any communicative effort. When they examined the recordings, the researchers saw that brain activity of the listener heavily resembled that of the speaker after a delay. This copy-cat effect, however, was not observed when subjects didn’t understand the communicator, for example when the speaker only communicated in Turkish but the listener was only fluent in English. With the results from fNIRS, the experimenters found that the fNIRS recordings correlated quite closely with fMRI results of a similar experiment. Consciousvibrancy Source: http:-sites.bu.edu-ombs-2017-03-01-brain-synching-what-happens-when-you-converse-with-other-people-

FMRI scans on couples show scientific evidence that emotions such as joy, serenity and enthusiasm are picked up and enhanced in the prese...

Neuralize: Nisso? Cachorros gostam mais de elogios do que de comida, revela estudo O/ACREDITANISSOOFICIAL @ACREDITANISSO Marque seus amigos! ↗️ . Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. Fonte: Super . SIGAM-ME OS BONS 👉 @Nandinhatw (ADM)
Neuralize: Nisso?
 Cachorros gostam mais de
 elogios do que de comida,
 revela estudo
 O/ACREDITANISSOOFICIAL
 @ACREDITANISSO
Marque seus amigos! ↗️ . Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. Fonte: Super . SIGAM-ME OS BONS 👉 @Nandinhatw (ADM)

Marque seus amigos! ↗️ . Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapa...

Neuralize: Acredita Nisso? Cachorros gostam mais de do que de comida elocio do que de COmida revela estudo 。/ACREDITANISSOOFICIAL @ACREDITANISSO @AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. Fonte: Galileu . ➡️ @Nandinhatw (ADM)
Neuralize: Acredita
 Nisso?
 Cachorros gostam
 mais de
 do que de comida
 elocio do que de COmida
 revela estudo
 。/ACREDITANISSOOFICIAL
 @ACREDITANISSO
@AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. Fonte: Galileu . ➡️ @Nandinhatw (ADM)

@AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as n...

Neuralize: Nisso? Alcool funciona como um antidepressivo de acao rapida, diz estudo f/ACREDITANIssooFICIAL ACREDITANISSO @AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a resposta é sim, pelo menos do ponto de vista da bioquímica. Pesquisadores descobriram que o álcool produz as mesmas mudanças neuronais e moleculares que medicamentos eficazes para depressão. “Por causa da grande ligação entre problemas depressivos e alcoolismo, existe a hipótese da automedicação, sugerindo que indivíduos depressivos podem começar a beber como forma de tratar a depressão”, diz o pesquisadora principal, Kimberly Raab-Graham, da Wake Forest School of Medicine (EUA). “Agora temos dados bioquímicos e comportamentais para dar suporte à essa hipótese”, complementa ela. Claro isso não significa que o álcool pode ser encarado como um tratamento eficaz para a depressão. “Definitivamente há perigo em automedicação com álcool. Há limite entre o consumo que ajuda e o consumo que causa danos, e em algum momento no uso repetido a automedicação se transforma em vício”, diz Raab-Graham. O estudo analisou animais para observar que uma simples dose de álcool bloqueia receptores NMDA (proteínas associadas com o aprendizado e memória) e atua com a proteína FMRP para transformar um ácido chamado GABA de inibidor para estimulador da atividade neural. Além disso, os pesquisadores descobriram que essa mudança bioquímica causa comportamento não-depressivo que dura pelo menos 24 horas. “Mais pesquisas são necessárias nesta área, mas nossas descobertas dão base biológica para o instinto humano natural de automedicação. Elas também definem um mecanismo molecular que pode contribuir para que pessoas depressivas também tenham problemas com álcool”, diz ela. Fonte: ScienceDaily . SIGAM-ME OS CURIOSOS ➡️ @Nandinhatw (ADM) 💋
Neuralize: Nisso?
 Alcool funciona como um
 antidepressivo de acao
 rapida, diz estudo
 f/ACREDITANIssooFICIAL
 ACREDITANISSO
@AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a resposta é sim, pelo menos do ponto de vista da bioquímica. Pesquisadores descobriram que o álcool produz as mesmas mudanças neuronais e moleculares que medicamentos eficazes para depressão. “Por causa da grande ligação entre problemas depressivos e alcoolismo, existe a hipótese da automedicação, sugerindo que indivíduos depressivos podem começar a beber como forma de tratar a depressão”, diz o pesquisadora principal, Kimberly Raab-Graham, da Wake Forest School of Medicine (EUA). “Agora temos dados bioquímicos e comportamentais para dar suporte à essa hipótese”, complementa ela. Claro isso não significa que o álcool pode ser encarado como um tratamento eficaz para a depressão. “Definitivamente há perigo em automedicação com álcool. Há limite entre o consumo que ajuda e o consumo que causa danos, e em algum momento no uso repetido a automedicação se transforma em vício”, diz Raab-Graham. O estudo analisou animais para observar que uma simples dose de álcool bloqueia receptores NMDA (proteínas associadas com o aprendizado e memória) e atua com a proteína FMRP para transformar um ácido chamado GABA de inibidor para estimulador da atividade neural. Além disso, os pesquisadores descobriram que essa mudança bioquímica causa comportamento não-depressivo que dura pelo menos 24 horas. “Mais pesquisas são necessárias nesta área, mas nossas descobertas dão base biológica para o instinto humano natural de automedicação. Elas também definem um mecanismo molecular que pode contribuir para que pessoas depressivas também tenham problemas com álcool”, diz ela. Fonte: ScienceDaily . SIGAM-ME OS CURIOSOS ➡️ @Nandinhatw (ADM) 💋

@AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a...

Neuralize: Acredita Cachorros gostam mais de elogios do que de comida, revela estudo ITANIssooFICIAL OACREDITANIsso @AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw 💋
Neuralize: Acredita
 Cachorros gostam mais de
 elogios do que de comida,
 revela estudo
 ITANIssooFICIAL OACREDITANIsso
@AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw 💋

@AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as n...

Neuralize: "YES, YOUR TRANSFORMATION WILL BE HARD. YES, YOU WILL FEE FRIGHTENED MESSED UP AND KNOCKED DOWN. YES, YOU'LL WANT TO STOP. YES IT'S THE BEST WORK YOU'LL EVER DO ROBIN SHARMA Wanted to share some seriously valuable information on exponential productivity + getting giant ambitions done in this post. I strongly encourage you to get away from the noise of life and really digest it deeply over the next 5 minutes. [Your potential will applaud you for it]. And so…let’s go… …All of the billionaires, NBA stars, music legends and ultra-performers I personally advise and who show up at my events are “freaks”. They just see the world through a very different set of lenses than most people. They have a very different sequence of values. And they have a uniquely different series of personal protocols. And so, like anyone who operates at the highest level of ingenuity, productivity and audacity, they have had to develop a strong interior core that allows them to keep on rising to wow in the face of society calling them strange… …A-players also understand that their 5 most valuable [and scarce] resources are as follows: 1: Their Mental Focus. Without extreme concentration on your craft and “vital few” priorities, you’ll spread your brain’s bandwidth over many things. And, ultimately, end up genius at nothing. By dialling in your focus, you’ll leverage the neuroscientific rule that says “neurons that fire together wire together”. [Write that one down. Please.] Next, your massive focus activates a certain type of brain cell called an oligodendrocyte which then triggers the production of myelin, a fatty tissue that wraps around the neural pathway related to the skill you’re practicing. Myelin is “The Material of Genius” in many ways as it accelerates your learning speed and heightens your perception. This is how Wayne Gretzky was able to skate to where the puck was going. And how tennis star Serena Williams has done what she has. Cool, right? Implementation tactic: Zero Device Days [ZDD]. These are days where you put your phone in a plastic baggie and leave your devices in another room. Carve out a space with no distractions called your Dream Room. Go there. Set an old-school timer for 2-3 hours. And don’t get up until you’ve done real work versus the fake stuff ordinary performers... Read the rest of this post on my Facebook page.
Neuralize: "YES, YOUR
 TRANSFORMATION
 WILL BE HARD.
 YES, YOU WILL FEE
 FRIGHTENED
 MESSED UP AND
 KNOCKED DOWN.
 YES, YOU'LL
 WANT TO STOP.
 YES IT'S THE
 BEST WORK
 YOU'LL EVER DO
 ROBIN SHARMA
Wanted to share some seriously valuable information on exponential productivity + getting giant ambitions done in this post. I strongly encourage you to get away from the noise of life and really digest it deeply over the next 5 minutes. [Your potential will applaud you for it]. And so…let’s go… …All of the billionaires, NBA stars, music legends and ultra-performers I personally advise and who show up at my events are “freaks”. They just see the world through a very different set of lenses than most people. They have a very different sequence of values. And they have a uniquely different series of personal protocols. And so, like anyone who operates at the highest level of ingenuity, productivity and audacity, they have had to develop a strong interior core that allows them to keep on rising to wow in the face of society calling them strange… …A-players also understand that their 5 most valuable [and scarce] resources are as follows: 1: Their Mental Focus. Without extreme concentration on your craft and “vital few” priorities, you’ll spread your brain’s bandwidth over many things. And, ultimately, end up genius at nothing. By dialling in your focus, you’ll leverage the neuroscientific rule that says “neurons that fire together wire together”. [Write that one down. Please.] Next, your massive focus activates a certain type of brain cell called an oligodendrocyte which then triggers the production of myelin, a fatty tissue that wraps around the neural pathway related to the skill you’re practicing. Myelin is “The Material of Genius” in many ways as it accelerates your learning speed and heightens your perception. This is how Wayne Gretzky was able to skate to where the puck was going. And how tennis star Serena Williams has done what she has. Cool, right? Implementation tactic: Zero Device Days [ZDD]. These are days where you put your phone in a plastic baggie and leave your devices in another room. Carve out a space with no distractions called your Dream Room. Go there. Set an old-school timer for 2-3 hours. And don’t get up until you’ve done real work versus the fake stuff ordinary performers... Read the rest of this post on my Facebook page.

Wanted to share some seriously valuable information on exponential productivity + getting giant ambitions done in this post. I strongly e...

Neuralize: Acredita Nisso? S Cachorros gostam mais de elogio do que de comida revela estudo /ACREDITANIssooFICIAL i OACREDITANIsso @AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. Fonte: Galileu . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw (ADM)
Neuralize: Acredita
 Nisso?
 S Cachorros gostam mais de
 elogio do que de comida
 revela estudo
 /ACREDITANIssooFICIAL
 i OACREDITANIsso
@AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as necessidades básicas dos bichinhos. Para isso, eles treinaram 15 cães para passar por uma ressonância magnética. Enquanto o cérebro era escaneado, os pesquisadores mostravam 3 brinquedos diferentes, cada um associado a um resultado diferente. Quando um caminhão rosa aparecia por 10 segundos, eles já sabiam que vinha comida depois. Se surgisse um bonequinho azul, logo aparecia o dono fazendo festinha e por último, uma escova de cabelo, que não oferecia recompensa nenhuma. Cada cão passou pelo teste 32 vezes. A atividade cerebral deles variava pouco quando aparecia a escova de cabelo. Mas uma explosão de ativação neural acontecia quando sabiam que estavam prestes a receber comida ou carinho do dono. Só 2 dos cachorros mostraram uma ativação cerebral maior antes da comida do que dos elogios do dono. Para 9 deles, os dois estímulos eram equivalentes. Para 4 deles, os elogios do dono geraram uma atividade neural muito maior. Depois, os pesquisadores conduziram um segundo estudo. Eles colocavam os cachorros em um corredor que levava a dois caminhos diferentes. No final de um, um pote de comida. Na outra ponta, o dono sentado de costas, pronto para fazer festa. A escolha dos cachorros repetia o padrão. Aqueles que tinham explosões de atividade neural quando recebiam elogios do dono saiam correndo para ele em até 90% das vezes. Para os cientistas, os resultados mostram que cãezinhos não são motivados só pela comida, mas têm reações cerebrais intensas à interação social com os seus donos. Como a exceção que justifica a regra, só um cachorro escolheu comida 100% do tempo, em todos os experimentos: o Ozzie. Esse caso mostra que a sociabilidade dos cachorros é um traço individual e varia como nos humanos. Fonte: Galileu . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw (ADM)

@AcreditaNisso? Especialistas do DogProject, da Universidade Emory, decidiram investigar se os laços entre nós e os pets ultrapassam as n...

Neuralize: Alcool funciona como antidepressivo de acao rapida diz estudo ACREDITANISSOOFICIAL REDITANISSO @AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a resposta é sim, pelo menos do ponto de vista da bioquímica. Pesquisadores descobriram que o álcool produz as mesmas mudanças neuronais e moleculares que medicamentos eficazes para depressão. “Por causa da grande ligação entre problemas depressivos e alcoolismo, existe a hipótese da automedicação, sugerindo que indivíduos depressivos podem começar a beber como forma de tratar a depressão”, diz o pesquisadora principal, Kimberly Raab-Graham, da Wake Forest School of Medicine (EUA). “Agora temos dados bioquímicos e comportamentais para dar suporte à essa hipótese”, complementa ela. Claro isso não significa que o álcool pode ser encarado como um tratamento eficaz para a depressão. “Definitivamente há perigo em automedicação com álcool. Há limite entre o consumo que ajuda e o consumo que causa danos, e em algum momento no uso repetido a automedicação se transforma em vício”, diz Raab-Graham. O estudo analisou animais para observar que uma simples dose de álcool bloqueia receptores NMDA (proteínas associadas com o aprendizado e memória) e atua com a proteína FMRP para transformar um ácido chamado GABA de inibidor para estimulador da atividade neural. Além disso, os pesquisadores descobriram que essa mudança bioquímica causa comportamento não-depressivo que dura pelo menos 24 horas. “Mais pesquisas são necessárias nesta área, mas nossas descobertas dão base biológica para o instinto humano natural de automedicação. Elas também definem um mecanismo molecular que pode contribuir para que pessoas depressivas também tenham problemas com álcool”, diz ela. Fonte: ScienceDaily . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw (ADM)
Neuralize: Alcool funciona como
 antidepressivo de acao
 rapida diz estudo
 ACREDITANISSOOFICIAL
 REDITANISSO
@AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a resposta é sim, pelo menos do ponto de vista da bioquímica. Pesquisadores descobriram que o álcool produz as mesmas mudanças neuronais e moleculares que medicamentos eficazes para depressão. “Por causa da grande ligação entre problemas depressivos e alcoolismo, existe a hipótese da automedicação, sugerindo que indivíduos depressivos podem começar a beber como forma de tratar a depressão”, diz o pesquisadora principal, Kimberly Raab-Graham, da Wake Forest School of Medicine (EUA). “Agora temos dados bioquímicos e comportamentais para dar suporte à essa hipótese”, complementa ela. Claro isso não significa que o álcool pode ser encarado como um tratamento eficaz para a depressão. “Definitivamente há perigo em automedicação com álcool. Há limite entre o consumo que ajuda e o consumo que causa danos, e em algum momento no uso repetido a automedicação se transforma em vício”, diz Raab-Graham. O estudo analisou animais para observar que uma simples dose de álcool bloqueia receptores NMDA (proteínas associadas com o aprendizado e memória) e atua com a proteína FMRP para transformar um ácido chamado GABA de inibidor para estimulador da atividade neural. Além disso, os pesquisadores descobriram que essa mudança bioquímica causa comportamento não-depressivo que dura pelo menos 24 horas. “Mais pesquisas são necessárias nesta área, mas nossas descobertas dão base biológica para o instinto humano natural de automedicação. Elas também definem um mecanismo molecular que pode contribuir para que pessoas depressivas também tenham problemas com álcool”, diz ela. Fonte: ScienceDaily . SIGAM-ME OS BONS ➡️ @Nandinhatw (ADM)

@AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a...

Neuralize: Acedra Nisso? Alcool funciona como rapida diz estudo ACREDITANISSOOFICIAL REDITANISSO @AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a resposta é sim, pelo menos do ponto de vista da bioquímica. Pesquisadores descobriram que o álcool produz as mesmas mudanças neuronais e moleculares que medicamentos eficazes para depressão. “Por causa da grande ligação entre problemas depressivos e alcoolismo, existe a hipótese da automedicação, sugerindo que indivíduos depressivos podem começar a beber como forma de tratar a depressão”, diz o pesquisadora principal, Kimberly Raab-Graham, da Wake Forest School of Medicine (EUA). “Agora temos dados bioquímicos e comportamentais para dar suporte à essa hipótese”, complementa ela. Claro isso não significa que o álcool pode ser encarado como um tratamento eficaz para a depressão. “Definitivamente há perigo em automedicação com álcool. Há limite entre o consumo que ajuda e o consumo que causa danos, e em algum momento no uso repetido a automedicação se transforma em vício”, diz Raab-Graham. O estudo analisou animais para observar que uma simples dose de álcool bloqueia receptores NMDA (proteínas associadas com o aprendizado e memória) e atua com a proteína FMRP para transformar um ácido chamado GABA de inibidor para estimulador da atividade neural. Além disso, os pesquisadores descobriram que essa mudança bioquímica causa comportamento não-depressivo que dura pelo menos 24 horas. “Mais pesquisas são necessárias nesta área, mas nossas descobertas dão base biológica para o instinto humano natural de automedicação. Elas também definem um mecanismo molecular que pode contribuir para que pessoas depressivas também tenham problemas com álcool”, diz ela. Fonte: ScienceDaily . SIGAM-ME OS BONS 👉 @Nandinhatw (ADM)
Neuralize: Acedra
 Nisso?
 Alcool funciona como
 rapida diz estudo
 ACREDITANISSOOFICIAL
 REDITANISSO
@AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a resposta é sim, pelo menos do ponto de vista da bioquímica. Pesquisadores descobriram que o álcool produz as mesmas mudanças neuronais e moleculares que medicamentos eficazes para depressão. “Por causa da grande ligação entre problemas depressivos e alcoolismo, existe a hipótese da automedicação, sugerindo que indivíduos depressivos podem começar a beber como forma de tratar a depressão”, diz o pesquisadora principal, Kimberly Raab-Graham, da Wake Forest School of Medicine (EUA). “Agora temos dados bioquímicos e comportamentais para dar suporte à essa hipótese”, complementa ela. Claro isso não significa que o álcool pode ser encarado como um tratamento eficaz para a depressão. “Definitivamente há perigo em automedicação com álcool. Há limite entre o consumo que ajuda e o consumo que causa danos, e em algum momento no uso repetido a automedicação se transforma em vício”, diz Raab-Graham. O estudo analisou animais para observar que uma simples dose de álcool bloqueia receptores NMDA (proteínas associadas com o aprendizado e memória) e atua com a proteína FMRP para transformar um ácido chamado GABA de inibidor para estimulador da atividade neural. Além disso, os pesquisadores descobriram que essa mudança bioquímica causa comportamento não-depressivo que dura pelo menos 24 horas. “Mais pesquisas são necessárias nesta área, mas nossas descobertas dão base biológica para o instinto humano natural de automedicação. Elas também definem um mecanismo molecular que pode contribuir para que pessoas depressivas também tenham problemas com álcool”, diz ela. Fonte: ScienceDaily . SIGAM-ME OS BONS 👉 @Nandinhatw (ADM)

@AcreditaNisso? Beber faz pessoas com depressão clínica se sentirem melhor? Segundo estudo publicado na revista Nature Communications, a...